Cuidados essenciais com o pet durante as festas de fim de ano

Oie “AUmiguinhos”!  O final de ano chegou com tudo e nós (Bella e Nina) resolvemos compartilhar com vocês uma dica incrível da Farmina. 

Com as festas de fim de ano, sabemos como é importante tomar certos cuidados com os animais de estimação. Nessa época ocorrem muitas situações que demandam atenção dos tutores a fim de garantir o bem-estar e a segurança do pet. No artigo a seguir vamos falar de tudo que você precisa saber para passar essa época do ano com tranquilidade ao lado do seu melhor amigo.

Cuidados iniciais na hora da viagem

Na hora de viajar com um pet temos que ficar atentos a uma série de detalhes a fim de garantir um passeio seguro e tranquilo. Apesar de ser possível levar o animal em segurança, muitas vezes há um desconforto durante a locomoção. A brusca mudança de ambiente também é algo estressante. Cães geralmente lidam bem com um novo local, porém gatos levam um tempo (de dias a meses) para se habituar, e ficam tensos até se acostumarem. Além disso, nem sempre o local da hospedagem oferece tranquilidade e segurança necessárias para um pet.  Por isso, o primeiro ponto a analisar é se vale a pena levar o pet na viagem, ou se é melhor deixa-lo sob os cuidados de alguém.

Não levar o pet

Caso tenha optado por não levar, há duas possibilidades: deixar o pet em casa ou utilizar os serviços de um “hotelzinho”. Deixando em casa o tutor deve contar com ajuda de alguém de confiança para supervisionar o pet em sua ausência. Pode ser um amigo, parente ou vizinho que visite a casa diariamente para alimentar, limpar e até brincar com o animal. Importante escolher alguém que tenha familiaridade com animais de estimação. Existe também o serviço profissional de Pet Sitter, que são pessoas especializadas em cuidar de animais na ausência do tutor. Existem plataformas online, como sites e aplicativos, que possibilitam a escolha do profissional.

Para aqueles que preferem utilizar um hotel para cães e gatos, onde há profissionais 24h por dia cuidando, é necessário escolher minuciosamente uma boa opção. Veja dicas a seguir:

1) Primeiramente, verifique as informações do hotel por meio da internet, nas páginas de rede sociais como Instagram, Facebook e até Youtube. Pelo site você deve analisar as características principais como localização, estrutura e as regras para animais de estimação. Nas redes sociais verifique as avaliações e os comentários de pessoas que hospedaram pets recentemente.

2) Faça uma lista dos hotéis que se adequam ao perfil do seu pet, e se possível visite pessoalmente cada um deles, verificando as instalações e o funcionamento do estabelecimento.

3) Na visita, verifique a higiene, a ordem e o comportamento dos animais hospedados.

4) Confira se o espaço recreativo é amplo e se há atividades interativas com brinquedos.

5) Cheque se há um veterinário responsável e disponível para emergências. Na maioria das vezes, o profissional não fica no hotel o tempo todo, porém deve existir alguém conveniado.  Verifique também se há um hospital veterinário 24 horas na região, e qual a conduta da equipe do hotel em casos de emergências.

6) Verifique se as instalações são a prova de fugas.

Levar o pet

Se você chegou a conclusão que é melhor levar o pet com você, veja se o local da viagem (hotel, casa ou apartamento) oferece espaço, segurança e tranquilidade para o animal. Nem todos os hotéis aceitam cães e gatos, por isso, cheque com antecedência. O segundo passo é planejar o transporte para que seja feito com todas as medidas de segurança e seguindo as regras necessárias. Em viagens de carro, consulte o código de trânsito, e em viagens de ônibus e avião, verifique diretamente com as companhias.

Cuidados com a alimentação

Com as ceias de Natal e Ano Novo presentes, o risco da ingestão de alimentos indevidos é grande. Sabemos que é difícil resistir aos olhares pidões, mas devemos ser firmes a fim de evitar acidentes, intoxicações ou até mesmo o ganho de peso do animal. As refeições de fim de ano são perigosas pois contêm uma variedade grande de alimentos, dentre ossos, carnes temperadas, doces, castanhas, frutas com caroços, bebidas alcoólicas, entre outros que podem intoxicar ou até gerar uma obstrução no sistema digestivo. Lembrando que chocolate, uva passa e macadâmia, itens comuns nas festas de Natal, são tóxicos para cães e gatos.  Não corra o risco de uma emergência veterinária em meio ao Natal ou Réveillon!

Neste caso, a dica principal é manter o pet longe da mesa na hora dessas refeições. Deixar o animal com livre circulação aumenta muito as chances de um acidente acontecer, além de aguçar muito mais a vontade dele comer algo que não deve. Outra dica é oferecer a alimentação regular do pet pelo menos 1 hora antes da ceia, para evitar que ele esteja com fome na hora que todos sentarem à mesa. É importante explicar a todos que estarão presentes para que não ofereçam nada ao pet, pois muitos não sabem ainda que esse hábito é prejudicial.

Cuidados durante os fogos de artifício

Todos nós sabemos que as queimas de fogos de artifício é um grande problema para os animais de estimação. Por possuírem uma audição mais sensível do que a nossa, os cães e gatos geralmente reagem de maneira negativa aos barulhos causados pelos fogos. Para amenizar os momentos de ansiedade e evitar possíveis fugas ou traumas, separamos algumas dicas.

Dessensibilização dos ruídos

Caso tenha tempo hábil (algumas semanas), o ideal é fazer a dessensibilização dos ruídos, que consiste em um treinamento que diminui a sensibilidade do animal ao barulho. Esse treinamento é feito por meio da reprodução dos sons de fogos retirados da internet (Youtube) ou por um CD específico disso. O objetivo é fazer o animal perder o medo, entender que aquilo não é perigoso e tirar o foco do barulho. Preparamos um passo a passo de como fazer isso, clique aqui para ler o artigo.

Mudanças no ambiente

Fazer mudanças no ambiente nas vésperas das datas comemorativas pode ser uma medida eficaz para abafar o som. Dessa forma, é indicado fechar as portas, as janelas, colocar panos nas frestas e ligar a televisão ou rádio. Além disso, é interessante preparar um local que sirva de refúgio, um local aconchegante em um quarto que tenha pouco movimento. Lembre-se de retirar todos os objetos que podem oferecer risco aos pets, pois nos momentos do pânico, as chances de o animal esbarrar em algum material e causar algum acidente aumentam.

O que fazer durante os fogos

Durante a crise de medo dos fogos, é importante sempre manter a calma e demonstrar que nada de anormal está acontecendo, pois, os animais observam a reação dos tutores e caso ela seja negativa, o medo só vai aumentar. Também é importante não oferecer nenhum tipo de recompensa se o animal estiver estressado, amedrontado ou ansioso. Apenas ofereça se o pet estiver apresentando um comportamento adequado para a situação. Outra boa dica é não mimar e nem dar broncas. Geralmente essas atitudes não funcionam e ainda contribuem para aumentar a sensação de medo.

Caso o seu animal demonstre uma fobia intensa, procure um Médico Veterinário e verifique as possibilidades de tratamento. Algumas terapias como homeopatia, acupuntura e fornecimento de florais podem auxiliar na diminuição dos sintomas relacionados ao medo.

Outras dicas

Além de tudo que foi abordado acima, ainda temos outras dicas que envolvem as festas e as férias ao lado do pet:

- Calor excessivo: tanto cães como gatos são mais sensíveis ao calor que nós. No verão, a temperatura sobe muito rápido, portanto evite passeios e viagens entre 10h e 16h Cães de raça braquicefálica (aqueles com focinho curto) são ainda mais susceptíveis e podem ter graves problemas com o calor.

- Piscinas: alguns cães amam água, e com o calor do verão é comum eles pularem na piscina. Nunca deixe o animal sozinho ou sem supervisão, e só permita que ele entre na água caso consiga sair sozinho, isto é, sem precisar que ninguém o tire da piscina.

- Presentes: embalagens de presentes como fitas, laços e outros objetos podem ser facilmente engolidos, fique atento.

- Aglomerações: nessa época do ano é comum haver aglomerações nas ruas, evite sair com seu pet nesses momentos.

- Gatos: considere que na maioria dos casos é melhor deixar o gato em casa sob a supervisão de um Pet Sitter, pois a mudança de ambiente é muito estressante para os bichanos. O gato demora de semanas a meses para explorar todo o ambiente novo e se sentir à vontade, e até que isso não ocorra é comum ele se recusar a comer e ficar escondido.

- Praias: levar o cachorro na praia geralmente não é uma boa ideia na época de festas. Além do excesso de pessoas, facilitando que o animal se perca, pode haver sujeira e restos de comida. Muitas prefeituras proíbem o acesso de cães à praia para evitar a transmissão de doenças, principalmente através das fezes desses animais.

- Alimentação: além do que falamos acima, vale lembrar que oferecer uma alimentação completa de qualidade e específica para as particularidades do seu pet é fundamental para mantê-lo saudável o ano todo. Caso você queira receber uma orientação a respeito, clique aqui e preencha o Plano Nutricional Farmina. Você ainda vai receber um desconto exclusivo que só a Farmina oferece para os participantes do Plano.

Esperamos ter ajudado você a ter um final de ano tranquilo com o seu animal de estimação. Caso você tenha alguma dúvida, entre em contato conosco via redes sociais ou deixe um comentário abaixo.

Aguardem novidades sobre a Farmina aqui na nossa coluna PET no Soul Peruíbe. Obrigada pelo carinho de sempre, Center Vet de Peruíbe e Casa de Rações Falcão.

Aproveite e nos siga no Instagram @bellaeninaoficial para não perder nenhuma novidade.

Conteúdo by Farmina.

Conheça mais sobre a Farmina. Siga eles nas mídias sociais e acesse o site:

https://www.facebook.com/FarminaPetFoodsBrasil

https://www.instagram.com/farminabr/

https://twitter.com/farminabrasil

https://www.farmina.com/br/

Editoria pet administrada por Bella e Nina, blogueirinhas, mascotes do Soul Peruíbe, apaixonadas por aventuras, diversão e pela terra da eterna juventude.

Comentários

Comentários

Deixe seu comentário