Mulheres empreendedoras, protagonistas de suas próprias histórias

O que uma administradora, uma publicitária e uma bióloga têm em comum?

Muita garra, força de vontade, coragem e o mesmo CEP. Juliana, Carolina e Juliana são empreendedoras e lideram seus negócios na cidade de Peruíbe.

Nós do Soul Peruíbe acreditamos muito na força do empreendedorismo e quando ele vem de mulheres, aí é que nosso coração vibra mais forte. Levantamos com orgulho a bandeira à favor do empoderamento feminino.

A editoria de empreendedorismo já fazia parte dos nossos planos faz algum tempo, mas achamos que o momento não poderia ser mais propício, já que estamos no dia das mulheres, para estrearmos esta coluna com uma causa que apoiamos muito, o empreendedorismo feminino.

Conheça 3 mulheres com histórias fantásticas, que no meio da vida mudaram de planos, decidiram ir em busca de seus sonhos e atualmente são realizadas com o que fazem, liderando e gerenciando suas próprias empresas.

Quem é você?

Juliana M. Bertelli Cavalcanti, tenho 39 anos , nasci em Santos mas moro aqui desde os meus 7 anos. Me formei em administração pela Unimes (Santos), tenho 2 filhas, Laura de 6 anos e Clara de 2 anos.

Qual é a sua empresa e o que ela faz?

Tenho duas lojas a Maria Bonita que é de roupas femininas e a Acessorium que é de acessórios femininos como bijouterias, pratas, bolsas, cintos etc.

Por quanto tempo você empreende e quais motivos que a fizeram empreender?

Abri minha primeira loja  em julho de 2002. Eu tinha acabado de me formar na faculdade e tinha também acabado de sair do Banco em que comecei a trabalhar e não me identifiquei.

 Eu tinha 24 anos, e desde os 13 que ajudava meus pais em comércio (meu pai tinha uma farmácia: Drogaria Kaline) e minha mãe abriu a loja logo depois que meu pai faleceu. Eu fui ajudar no comércio e fui gostando. Abri a Maria Bonita 3 anos depois, em junho de 2005.

Quais as maiores dificuldades você já enfrentou empreendendo?

A dificuldade é pequena se for ver. Tem essa crise que estamos passando no nosso país e acredito que temos que nos adaptar à ela, procurando trabalhar com peças que tenha bom preço sem mudar a qualidade. É tudo questão de criatividade, planejamento e estratégia.

Que conselho e inspiração você daria para quem quer começar a ter o próprio negócio?

Acredito que temos que trabalhar com o que a gente gosta e se identifica, pois com prazer nem percebemos que estamos trabalhando. Eu sinto isso!!!

Saiba mais sobre a Maria Bonita

Quem é você?

Carolina Pereira,32 anos,  atleta, empresária, publicitária! Amante da natureza do trabalho e principalmente da família!

Qual é a sua empresa e o que ela faz?

A Píer Box surgiu do sonho de unir sustentabilidade, trabalho em equipe, esportes de aventura e equipamentos esportivos ao ar livre! Atualmente trabalhamos com a loja em comercialização de produtos esportivos e vida saudável aprimorando nossos serviços e servindo o melhor açaí do mundo e o único creme de cupuaçu da cidade de Peruíbe!

Por quanto tempo você empreende e quais motivos que a fizeram empreender?

Através da necessidade de mudanças. Tenho residência em Peruíbe há quase 20 anos e quando criamos a Píer Box há 4 anos, foi com objetivo de atrairmos turistas e munícipes para uma vida saudável.

Quais as maiores dificuldades você já enfrentou empreendendo?

O imediatismo. Às vezes queremos tudo pra ontem, e na prática não é assim que funciona! O trabalho pra ser bem feito precisa ser estudado e principalmente ter muita vontade pra dar continuar.

Que conselho e inspiração você daria para quem quer começar a ter o próprio negócio?

O universo é cheio de possibilidades pra pessoas com vontade, basta uma ideia e jamais desistir do que planeja!!!

Saiba mais sobre o Píer Box.

Quem é você?

Juliana França Andrade, 46 anos, formada em ciências biológicas. Sou casada há 23 anos e tenho uma filha de 16 anos, e uma enteada de 25 anos.  Atuo no mercado de artesanato, inspirada pela minha avó, que era costureira de vestidos de noiva. Foi ela quem me ensinou a costurar e me deu minha primeira máquina.

Qual é a sua empresa e o que ela faz?

Minha empresa chama-se Ateliê Juju e Gigi. Sou artesã e confecciono produtos em tecido como bolsas, utilitários, além de bonecas em tecido.

Por quanto tempo você empreende e quais motivos que a fizeram empreender?

Tenho minha loja desde 2009, porém, ela ficou mais ativa em 2012, quando pedi exoneração do cargo de secretária de escola da prefeitura  de Peruíbe e  consegui me dedicar 100% à empresa.

O maior motivo que me fez empreender foi a vontade de trabalhar sem ter horário fixo, uma das coisas que mais me incomodam na vida....sou muito disciplinada e comprometida com minhas encomendas, mas gosto de programar os meus horários pois adoro praticar esportes ao ar livre e assim eu consigo estabelecer datas e viver com mais liberdade.

Quais as maiores dificuldades você já enfrentou empreendendo?

A maior dificuldade que já enfrentei e ainda enfrento aqui em Peruíbe é com relação à aquisição de matéria prima, pois normalmente preciso ir à São Paulo para fazer compras, devido à falta de produtos e custo benefício.

Que conselho e inspiração você daria para quem quer começar a ter o próprio negócio?

O conselho que eu dou é: “Vá sem medo...e se tiver medo, finja que tem coragem e vá.” O importante é tentar e não ter medo de errar, pois o medo rouba nossos sonhos!!!

Saiba mais sobre o Ateliê Juju e Gigi.

 

Lugar de mulher é onde ela quiser, seja produzindo suas próprias peças, estando à frente do mercado da moda ou até trabalhando com artigos esportivos. E que venham novas e incríveis histórias de empreendedoras em Peruíbe.

Comentários

Comentários

Deixe seu comentário