Peruíbe

Ela é uma jovem senhora, mãe de muitos, mas dona de um coração enorme que sempre cabe mais gente. É estonteante, tem uma natureza selvagem, exuberante e doce, tudo ao mesmo tempo. Calorosa, é sempre reconfortante descansar em sua companhia, olhar de ponta a ponta toda sua beleza ímpar. Ela é Peruíbe, a cidade que ninguém precisa escolher amar, a cidade que se ama sem escolha, sem e com todos os motivos do mundo.

Peruíbe tem gosto de comida caseira e cheiro de garoa. Peruíbe é deitar na rede e ler um livro até pegar no sono, é escutar de longe o mar enquanto faz cafuné em cachorrinho. É colher flores na rua da Telesp e entregar à namorada, é chamar pra comer churros na Boulevard e tapioca na feirinha. Passeio de bicicleta na ciclovia da praia aos domingos é Peruíbe.

Vem gente de todo o mundo – e de outros mundos também – conhecer as cachoeiras que o imponente e majestoso Itatins esconde, vem gente de toda parte tomar banho no Guaraú. Aqui não precisa olhar pra cima pra ver o céu, aqui não precisa de nada pra ouvir passarinho cantar.

A cidade mais amada desse litoral faz mais um aniversário e só cresce em beleza e sabedoria. Peruíbe sou eu, você, morador ou turista, vovô ou criança, areia, mar, índio, mata e ar puro. Da minha alma para a sua alma, para a alma de toda essa terra, estampo aqui o meu orgulho em ser filha da Terra da Eterna Juventude. Parabéns, Peruíbe, parabéns, minha casa.

Esse texto é uma colaboração de Flor. Flor é filha da Terra da Eterna Juventude e nunca viu ETs, mas jura para todo mundo que sua cidade é um santuário deles. Escreve de sua alma para Soul Peruíbe aos domingos.

Comentários

Comentários

Deixe seu comentário